Roteiro 3 – fev/12 – Dicas

De carro na estrada do Rio de Janeiro ao Fin Del Mundo (Ushuaia) – fevereiro de 2012

Dicas de Gasolina:

1 – Na Argentina, existem 3 tipos de naftas (gasolina): normal, super e fangio. Para carros brasileiros, é melhor pedir a normal ou super;

2 – Gas-oil, na Argentina, significa diesel. Portanto evitem falar gasolina, que pode ser confundido com gas-oil;

3 – No Chile, tem três tipos de gasolina: 93, 95 e 97. Para carros brasileiros, utilizar a 93 ou 95, pois possuem menos octanagem;

4 – Na Argentina existem os postos: YPF, Shell, Esso e Petrobrás. O YPF é o mais barato e a gasolina é de boa qualidade;

5 – No Chile, existem os postos: Petrobras, COPEC, Terpel, Esso e Shell. Aqui a gasolina é mais cara que no Brasil. Em torno de $800 pesos chilenos, em março de 2012. Preparem os bolsos;

6 – Andem sempre com dinheiro vivo (efectivo, plata), pois boa parte dos postos só aceita pagamento em espécie.

Dicas de Documentação:

1 – Na Argentina, os itens obrigatórios, para dirigir um automóvel, são:

1.1 – Seguro Carta Verde, seguro obrigatório contra terceiros no Uruguai, Argentina e Paraguai. Fizemos pelo site Barão Seguros. Atendimento nota 10 e documentação chegou rápida;

1.2 – Certificado de Registro e Licenciamento de Veículo (CRLV) no nome do motorista. Se o carro for alugado ou de outra pessoa a burocracia é maior. Tem que ter autorização para tráfego fora do país;

1.3 – Cadenas, no inverno, para trafegar em pistas com neve. Uma alternativa pode ser a cadena líquida;

1.4 – Cambão ou cabo de aço;

1.5 – Dois triângulos;

1.6 – Kit de Primeiros Socorros;

1.7 – Carteira Nacional de Habilitação e documento de identidade ou passaporte;

1.8 – Cinto de Segurança e Extintor de Incêndio;

1.9 – Andar, mesmo durante o dia, com os faróis baixos ligados.

2 – No Chile, os itens obrigatórios, para dirigir um automóvel, são:

2.1 – O Seguro Carta Verde não é obrigatório;

2.2 – Certificado de Registro e Licenciamento de Veículo (CRLV) no nome do motorista. Se o carro for alugado ou de outra pessoa a burocracia é maior. Tem que ter autorização para tráfego fora do país;

2.3 – Cadenas, no inverno, para trafegar em pistas com neve. Uma alternativa pode ser a cadena líquida;

2.4 – Cambão ou cabo de aço não é obrigatório;

2.5 – Dois triângulos;

2.6 – Kit de Primeiros Socorros;

2.7 – Carteira Nacional de Habilitação e documento de identidade ou passaporte;

2.8 – Vimos em alguns sites que a PID (Permissão Internacional de Dirigir) era obrigatória. Em outros, vimos que não era obrigatória. Na dúvida, levamos, porém, em nenhum momento foi solicitada a PID. No Rio de Janeiro, é fácil tirar: basta pagar o DUDA com o código correto e agendar junto ao Detran para fazer a PID. O processo é super rápido, podendo tirar em 48 horas. A validade é a mesma da CNH;

2.9 – Cinto de Segurança e Extintor de Incêndio;

2.10 – Andar, mesmo durante o dia, com os faróis baixos ligados.

Dicas de Cotação e Dinheiro:

1 – Em março de 2012, $250 pesos chilenos valia aproximadamente R$ 1,00 (um real);

2 – Em março de 2012, $2,50 pesos argentinos valia aproximadamente R$ 1,00 (um real);

3 – É recomendável levar dinheiro vivo. Não para a viagem toda, mas é bom estar previnido. Nem todos os lugares aceitam cartão de crédito ou possuem um caixa eletrônico;

4 – É recomendável levar dolar, real e trocar alguns pesos argentinos e chilenos aqui no Brasil. A nossa sugestão em relação a esses valores é: 50% dolar, 40% real, 10% pesos (argentinos e chilenos). E o valor total depende da quantidade de dias da viagem e os locais que serão visitados;

5 – O ideal é trocar o dolar por pesos nos países. Por exemplo, trocar dolar por peso argentino na Argentina. Trocar dolar por peso chileno no Chile. Primeiro por que no Brasil (em cidades não fronteiriças), o valor do peso é muito mais caro. Porém, é importante ter algum peso no bolso, afinal pedágios existem e podem só aceitar pesos locais.

Dicas Gerais:

1 – Se for atravessar a fronteira por Uruguaiana, trocar pesos na casa de câmbio da aduana. A cotação é amiga;

2 – Existem postos de gasolina do lado argentino (Paso de Los Libres), com o preço um pouco mais em conta do que do lado brasileiro;

3 – Na Argentina, não peçam gasolina (que pode ser confundido com gas-oil, que é diesel). Peçam nafta super;

4 – Conhecer a Catedral de Nossa Senhora de Lujan, em Luján;

5 – Conhecer as 3 paradas da Península Valdez: Punta Delgada, Caleta Valdez e Punta Norte;

6 – Conhecer Puerto Piramides;

7 – Comer um delicioso cordeiro em Puerto Madryn.

8 – Utilizar 3 técnicas ao andar no rípio: 1) Piscar o farol para o carro que vem no sentido contrário, quando este ainda está longe, a fim de que ele diminua a velocidade; 2) Se você perceber que o carro ignorou suas piscadas e continua em alta velocidade, vá para a pista dele (contra-mão) e continua piscando o farol freneticamente; 3) Se ainda assim ele não diminuir, volte para o seu canto e coloque a mão no pára-brisa;

9 – Visitar Punta Tombo (pinguinera) – Ao sul de Puerto Madryn;

10 – Visitar o Monumento Nacional dos Bosques Petrificados, na altura da cidade de Fitz Roy, ao norte de Comodoro Rivadavia;

11 – No extremo sul do continente, a partir de Comodoro Rivadavia para o sul e, depois, subindo pela Ruta 40, beirando a Cordilheira dos Andes, fazer conta para consumo de gasolina. É interessante levar um galão com combustível reserva;

12 – Pegar a aduana chilena, saindo de Rio Gallegos, bem cedo, antes dos ônibus de turismo;

13 – Encher o tanque em Rio Gallegos para não ter problemas com combustível, pois o próximo posto é só na Argentina, em San Sebastian (com sorte) ou apenas em Rio Grande;

14 – A estrada que chega em Ushuaia é mais bonita pela manhã, pois o sol ilumina as montanhas de frente; a noite, você dirige contra o sol.

15 – Em Ushuaia, não utilizar o teleférico ao subir o Cerro Martial. O visual que “vai chegando aos poucos” durante a caminhada é fantástico.

16 – Tire um dia inteiro para o Parque Nacional Tierra Del Fuego. Existem trilhas para todos os gostos e fôlegos.

17 – Não vale a pena passar em Punta Arenas.

18 – Em Torres Del Paine, o mirador de las torres é imperdível (nascer do sol);

19 – É possível dormir dentro do carro nos estacionamentos dos hotéis dentro do Parque Nacional Torres Del Paine;

20 – Ainda em Torres Del Paine, os campings são excelentes e as trilhas muito bem demarcadas;

21 – Em El Calafate, Perca (ou ganhe) 1 hora ou 1 hora e meia admirando o Glaciar Perito Moreno do mirante. É um espetáculo!

22 – Ainda em El Calafate, fazer o Big ice ou Mini trekking? BIG ICEEEEEEEEEEEEEE

23 – Em El Chalten, existem duas trilhas principais: a do Fitz Roy e a do Cerro Torre. É possível fazer um circuito, combinando essas duas trilhas com apenas um pernoite;

24 – Conheça o Fitz Roy, mas não deixe de ver o Cerro Torre: são espetaculares;

25 – A ruta 40, em março de 2012, estava sendo asfaltada;

26 – Villa La Angostura, nas proximidades de Bariloche, quase na fronteira com o Chile é uma cidade muito bonita. Vale conhecer;

27 – Conhecer os saltos de Petrohue e subir o Vulcão Osorno, em Puerto Varas;

28 – Em Pucon, a termas Los Pozones possui águas muito quentes. Leve isso em consideração na hora de escolhê-la. Sem contar que há um limite de 3 horas pra ficar nela, enquanto que nas outras, não há limite;

29 – Subir o vulcão Villarica é necessário. São 5 horas e meia de subida recompensantes! Mas tem que ter fôlego;

30 – Viña Del Mar e Valparaíso, no Chile não tem nada demais;

31 – Passar pela Cordilheira dos Andes e poder admirar os “caracoles”, o cerro Aconcágua e Puentes Del Inca é uma oportunidade única;

32 – Subir pela estrada de rípio até a estátua do Cristo Redentor, que fica a 4.000 metros de altura, exatamente na divisa entre Argentina e Chile;

33 – Aproveitar as vinícolas de Mendoza; a única coisa que tem de bom por lá: é uma cidade grande;

34 – Passar no túnel subfluvial que existe entre Santa Fé e Paraná: o túnel passa por baixo do rio Paraná;

35 – A fronteira Argentina / Brasil por Santo Tomé / São Borja possui um pedágio no valor de R$ 26, em março de 2012;

36 – As estradas no interior do sul do Brasil, possuem limites de velocidade de 80km/h.

Páginas dessa viagem

Página Principal – Roteiro 3 – fev/12
Nosso Roteiro
Numeros da Viagem
Relatório de Viagem

4 respostas a Roteiro 3 – fev/12 – Dicas

  1. João Guilherme diz:

    Estou planejando esse roteio pra outubro/16. Muito bom suas dicas, parabéns pelo relato, vai me ajudar muito!!! Obrigado!

  2. Guilherme diz:

    Boa noite!!
    Parabéns pela viagem, li suas dicas, vai nos valer muito. Partiremos no dia 16/12/16.

    Guilherme

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s