San Andres e Providencia – abr/14

Em abril de 2014 fomos pela primeira vez à Colômbia, nas ilhas de San Andres, Providência e Santa Catalina.

Situadas no caribe colombiano, a cerca de 191 km a leste da Nicarágua e a noroeste da Costa Rica e 775 km a noroeste da costa da Colômbia, as ilhas tem uma área de aproximadamente 26 km2.

Nosso vôo estava marcado para domingo às 12:09 (saindo do aeroporto internacional do Rio de Janeiro). Por motivos particulares, remarcamos para segunda-feira no mesmo horário. Iríamos para Guarulhos, depois Bogotá e finalmente San Andres.

No aeroporto do Rio, ficamos sabendo que a alteração (feita por telefone) não havia sido concluída, apesar de no site da TAM estar com as alterações atualizadas, houve algum problema que não fez a mudança.

Como não haviam mais vôos para chegar em São Paulo antes das 17 horas (horário do vôo de Guarulhos para Bogotá), tivemos que fazer conexão em Santiago para depois ir a Bogotá e enfim chegar a San Andres às 11:15 da manhã de terça-feira.

No aeroporto de Bogotá, compramos o Boleto Turístico (cerca de 48.000 pesos colombianos por pessoa). Quando fomos, a cotação estava de 1 real = 860 pesos colombianos

No fim deu tudo certo e chegamos na terça-feira, dia 15/04, na ilha de San Andres.

Havíamos reservado um hotel perto do aeroporto apenas para pernoitar, pois no dia seguinte já íamos à ilha de Providência para ficar 4 noites.

Fomos andando e chegamos no hotel sem problemas. O hotel ficava a algumas quadras do aeroporto. Chegamos cansados, tomamos um banho e descansamos um pouco. Depois saímos um pouco pra conhecer o centro.

O centro tem muitas lojas (perfumes, eletrônicos, outlet, chocolate) e muitos restaurantes (pra todos os gostos e bolsos).

Indicamos o Almacen JACOBO (situado na Av. Las AmericaS) para eletrônicos, onde o dono e os vendedores são super atenciosos.

De uma forma geral, as lojas funcionam de 9 da manhã até 12 horas e depois de 15:30 até 20 horas.

Vôo para Providência:

Havíamos comprado o vôo de San Andres para Providencia pela internet (ainda no Brasil) através do site da Satena

Check-in tranquilo, sem problemas.

Pegamos as malas e fomos num vôo tranquilo de 20 minutos num avião para 17 pessoas.

A vista na chegada à ilha de Providência é muito bonita e pode ser melhor apreciada do lado esquerdo do avião.

O aeroporto é bem pequeno e fizemos a entrada na ilha, nos identificando e dizendo onde ficaríamos hospedados.

Pegamos um taxi no aeroporto (dividido com uma moça da Austrália que tinha documentação da Itália e morava em Medellin, Colômbia). O preço para a zona hoteira foi de 23.000 pesos colombianos.

Chegamos na pousada (também reservada pela internet no Brasil) e pessoal super tranquilo, super gente boa. Descansamos um pouco e fomos saber dos passeios na ilha na própria pousada. Em seguida, fomos à praia da baía suroeste à pé, almoçamos por lá e nos planejamos para os próximos 3 dias completos que ficaríamos na ilha.

O que fizemos em Providência:

No dia da chegada, ficamos de bobeira e fomos à praia Baía Suroeste, almoçamos lá e vimos o por do sol na Baía aguas dulces.

Dia 1 – passeio de volta à ilha de barco e ficamos o resto do dia na praia da baía suroeste e tomamos o tal do ‘Coco-Loco’, um drink local que é servido dentro de um coco;

Dia 2 – subimos ao “El Pico” e passamos o resto do dia na baía água dulce. À noite, fomos à praia de Manzanillo de scooter, onde rola uma festa local todas as sextas-feiras;

Dia 3 – volta à ilha de scooter e fizemos o seguinte percurso: Almond Bay, ilha de Santa Catalina (passando pelo mirador, snorkel na praia, cabeça de Morgan e suco no “Don Olivo”), Praia de Manzanillo e volta à zona hoteleira. Quando estávamos de moto, não fomos às praias da baía suroeste e água dulce pois podíamos ir a pé até elas.

Dia 4 – caminhamos até a represa (10 minutinhos a pé) e depois ficamos na praia da baía de água dulce até a hora do vôo.

Resumo dos passeios a serem feitos na ilha da Providencia e Santa Catalina, com comentários:

1 – Volta à ilha de barco: reservamos diretamente na pousada; duração: de 10 às 16 horas. Comentário: a volta à ilha te dá uma noção de todas as praias que existem na ilha com algumas informações interessantes do local. Saímos da Baía Água Dulce e seguimos no sentido horário passando por Almond Bay e Baía de Santa Catalina. Passamos pela cabeça de Morgan (uma pedra na ilha de Santa Catalina) e por baixo da ponte de pedestres (puente de los enamorados) que liga as duas ilhas (Providencia e Santa Catalina). A parada foi em Cayo Cangrejo (um dos pontos mais fantásticos da ilha). Água azul caribe pra ninguém botar defeito. Nessa pequena ilha um pouco afastada da ilha principal é ideal para snorkel ou simplesmente banhar-se nas águas cristalinas da região. É possível também subir no ponto mais alto da ilha (trilha de 4 minutos) e avistar todas as tonalidades de azul que o mar caribenho nos proporciona. Depois de cerca de 2 horas no local, continuamos o passeio e o guia nos mostrou o tão badalado “El Pico” (o ponto mais alto da ilha com 360 metros), passamos em frente ao aeroporto, pelo Cayo Tres Hermanos, Baía Agua Mansa, praia de Manzanillo e paramos na baía suroeste para almoçar no tradicional restaurante do Divino Niño com o espetacular “plato mixto” que contém lagosta, camarões, patacon (prensado de banana), peixe frito. E tudo isso regado à cerveja Aguila, famosíssima na Colombia. Muito bom! Depois do almoço, volta pra casa;

2 – Subida ao “El Pico”: quem tem alguma noção de trilha, é super tranquila de ser feita sozinho. Até chegar nela, pode pedir informações para as casas ao redor. Se houver insegurança, contratar um guia na própria pousada para a subida. Duração aproximada: 1 hora e 20 minutos subindo e 1 hora descendo. Visual 360 graus da ilha da providência. Lá de cima, pode-se avistar a represa, as tonalidades de azul do mar caribenho. O aeroporto, entretanto, fica escondido atrás de uma montanha. Numa manhã pode ser feito o passeio;

3 – Ilha de Santa Catalina: acesso pela ponte dos enamorados: para o lado direito, apenas um canhão, depois de uns 5 minutos caminhando. Do lado esquerdo, o mirador com canhões e a Santa, o acesso a uma praia para fazer snorkel e a cabeça de Morgan (final da trilha). A trilha leva em torno de 30 minutos (ida, sem contar as paradas). O “Don Olivo” é uma “casa-restaurante” que serve sucos e aperitivos na beira da trilha, antes da subida para o mirador. Vale a pena uma parada para degustação;

4 – Cabeça de Morgan: pedra em formato da cabeça de Morgan situada no final da trlha da ilha de Santa Catalina. Morgan foi um corsário galês (pirata) que saqueou grande parte do Caribe no século XVII;

5 – Represa: pequeno caminho de 10 minutos (ida) andando onde se chega à represa de água doce da ilha;

6 – Praia – Baía agua dulce: situada próxima à zona hoteleira (que possui mais de 70% dos hotéis) é uma praia bonita, com águas para banhar-se. Recomendada para o dia de chegada, já que pode ir andando até ela (se estiver hospedado na zona hoteleira);

7 – Praia – Almond Bay: situada entre a zona hoteleira e a ilha de Santa Catalina é uma praia pequena e muito charmosa com águas para banhar-se. Vale a pena conhecer;

8 – Praia – de Santa Catalina: situada na ilha de Santa Catalina e excelente para snorkel. Há uma trilha até um mirador e depois até a Cabeça de Morgan. A praia tem acesso por essa trilha, que fica à esquerda, depois que se passa a ponte dos namorados. (puente de los enamorados);

9 – Praia – Manzanillo: situada no sul da ilha, com um bar típico que tem festa todas às sextas a partir das 22 horas;

10 – Praia – Baía Suroeste: situada no sudoeste da ilha, onde fica localizado o restaurante “El Divino Niño” com o típico “plato mixto”;

11 – Mergulhos com cilindro.

É possível conhecer todos os locais dos itens 3 ao 10 em 1 dia, alugando-se um carro de golfe ou uma scooter para percorrer a estrada ao redor da ilha.

Na zona hoteleira possui alguns 5 ou 6 restaurantes, incluindo os dos hotéis.

No centro, em Santa Isabel, existe um caixa eletrônico onde tiramos dinheiro sem problemas.

No domingo, dia 20/04, às 12:55, pegamos o vôo de volta a San Andres.

Novamente no aeroporto de San Andres, fomos andando a um outro hotel onde ficaríamos os próximos 5 dias.

Com as dicas que já havíamos pego na internet e as do local (hotel e quiosque de informações turísticas), fizemos nosso planejamento dos próximos 5 dias na cidade.

O que fizemos em San Andrés:

Dia 1 – alugamos um carro de golfe e demos a volta na ilha com parada na Cova de Morgan, West View, Hoyo Soplador (onde experimentamos o Coco-Fresa, outra bebída típica servida dentro do coco), praia de San Luis, Rocky Cay (se pronuncia “roque-qui”);

Dia 2 – fizemos o tour para Cayo Bolivar, onde conhecemos vários brasileiros (de São Paulo, Bahia e Rio de Janeiro);

Dia 3 – fizemos o tour Jonhy cay, acuario e show das mantarayas;

Dia 4 – alugamos um carro de golfe e demos outra volta à ilha com parada em Big Pond (lagoa de água doce, onde abastece toda a ilha). Lá tem um rapaz chamado Orlando, dono do bar, super gente boa. Depois seguimos para a primeira igreja batista, onde tivemos uma tentativa de furto da nossa câmera fotográfica: paramos o carrinho e fomos tirar foto da igreja. Nisso dois camaradas pararam do nosso lado e perguntaram que horas eram. Quando nos distraímos, eles arracaram com a moto e tentaram puxar a máquina e levar. Mas como a alça estava presa na mão, não conseguiram levá-la. Depois paramos em “La Piscinita”, almoçamos no restaurante El Paraiso, em San Luis, perto de Sound Bay e terminamos o dia novamente em Rocky cay.

Dia 5 – Curtimos a praia do centro e andamos pelo centro comprando bugingangas.

Resumo dos passeios a serem feitos na ilha de San Andres, com comentários:

1 – Casa Museu Isleña: típica construção de San Andres com alguns artefatos de séculos anteriores;

2 – Cova de Morgan: local onde o pirata Morgan guardava os tesouros que saqueava;

3 – West View: É lugar onde tem um trampolim e um escorregador que cai direto no mar com águas cristalinas e muitos peixes. Muito bom! Tem uma estrutura de restaurante e banheiros. Bom para usar snorkel, possui vários peixes;

4 – La Piscinita: É praticamente a mesma coisa que Westview, só que com menos estrutura. Portanto, se já foi em um, não há necessidade de ir no outro. A não ser que tenha gostado muito ou tenha tempo sobrando. Nós preferimos West View;

5 – Aquanautas: em West View. O passeio consiste numa caminhada debaixo d’água com um escafandro, numa profundidade de 6 metros. Passeio pra turista-turista-turista. Achamos não valer a pena;

6 – Hoyo Soplador: Localizada no extremo sul da ilha é um fenômeno natural causado por uma série de túneis subterrâneos nos recifes de corais que começam e terminam em um único buraco a vários metros da água. É legal! Vale a pena passar por lá;

7 – Praias de San Luis: Localizada na parte leste da ilha, essa praia tem areias finas e brancas e casas tradicionais de madeira. O mar é bom para snorkeling;

8 – Rocky Cay: uma espécie de praia privada dos hotéis Decameron. Não totalmente privada porque é acessível a todos. Mas pra chegar lá só de ônibus, táxi ou se alugar um carrinho de golfe;

9 – Acuario e Jonnhy Cay: A ilhota de Jonnhy Cay fica bem em frente à Playa Peatonal (praia do centro) e até faz parte da “decoração” do local. É um passeio combinado com o Acuario, que é uma praia rodeada de corais e, com isso, lotada de peixes. É como se você estivesse nadando dentro de um aquário. Snorkel é obrigatório. O passeio sai pela manhã e tem a opção de retorno às 13:30 ou às 15:30;

10 – Mantarrayas. O local é próximo ao Acquario e os passeios saem às 15:30h e retornam por volta das 18hs. Dá para pegar nas arraias, vendo-as nadando tranquilamente. E no final, tem as fotos, claro!;

11 – Cayo Bolívar: Um passeio mais caro (em torno de R$ 200). Distante de San Andrés cerca de uma hora em lancha rápida, que sai às 8hs e retorna no fim do dia, Cayo Bolívar é um dos passeios mais espetaculares de San Andrés! No entanto, este lugar tem visitas controladas e, além disso, em alguns meses, venta muito e os passeios podem não sair por conta do mar agitado. Portanto, a dica é reservá-lo assim que chegar em San Andrés e, se possível, fazê-lo logo nos primeiros dias;

12 – Playa Peatonal: É a praia principal do centro, fica na parte norte da ilha. É local super agradável, não só pela praia em si, mas pelo seu calçadão fechado, chamado de Peatonal, onde você pode fazer uma caminhada, sentar num restaurante e comer com uma vista super panorâmica, fazer compras, ou simplesmente ficar sentado num dos banquinhos, estrategicamente posicionados de frente pro mar, e ficar simplesmente observando todos aqueles azuis do mar. Sim, azuis no plural mesmo. O mar de San Andrés é conhecido com o “mar de siete colores”;

13 – Barco de vidro: É um barco com fundo de vidro, para observar os corais e peixes. Não fiz e achamos que não deve ter muita graça. Outro programa de turista-turista-turista;

14 – Volta à ilha: Passeio bom para fazer no dia que chegar à ilha para conhecer os lugares e voltar àquele(s) que mais gostou, se houver tempo. Pode ser feito de chiva (um ônibus colorido), de táxi ou pode-se alugar um carrinho de golfe ou scooter;

15 – Mergulho com cilindro;

16 – Lagoa Big Pond: água doce que abastece a cidade. Possui um bar do Orlando, típico morador da ilha super gente boa;

17 – Primeira Igreja Batista da ilha.

Fotos Aquáticas da viagem:

Em San Andres muitas praias são de corais, cuidado para não se cortar com os corais ou mesmo com os ouriços A dica é comprar um sapatinho com sola de borracha que é vendido em várias lojas da ilha. Não é a coisa mais confortável pra se usar na praia, pois entra areia e incomoda, mas é bom prevenir.

San Andrés é uma área de livre comércio. Lá as importações são diretas e sem intermediários, ou seja, não se paga imposto, o que faz da ilha um lugar muito atrativo para as compras. O centro é lotado de lojas, de todos os tipos. Tem lojas de grandes marcas como Puma, Adidas, … além de uma La Riviera (algo como o Duty Free) em cada esquina. De uma forma geral, os preços são melhores do que os do free shop de Bogotá, principalmente os eletrônicos. Mas cuidado porque tem lojas e lojas.

Depois de curtir quase 2 semanas do caribe colombiano, chegou a hora de retornar ao Brasil.

Pegamos o vôo no sábado, às 3.50 da manhã indo pra Bogotá. Tomamos café no aeroporto e às 10.30 pegamos o vôo para Guarulhos, chegando por volta das 19 horas. Como nosso vôo pro Rio de Janeiro era somente às 7.15 da manhã do dia seguinte, descobrimos que dentro do aeroporto de Guarulhos existe um hotel para essas ocasiões. Como já tínhamos virado a noite no dia anterior e estávamos muito cansados, ficamos por lá pra descansar um pouco.

No dia seguinte, tomamos café no aeroporto e fizemos o último trecho da viagem chegando no Rio de Janeiro novamente por volta de 8 horas da manhã.

Dicas desta viagem:

1 – Leve dólares e troque-os por pesos colombianos em San Andres ou no próprio aeroporto de Bogotá. As cotações não são muito diferentes. Não vale a pena levar reais;
2 – O boleto turístico para entrar na ilha de San Andres e Providencia tem que ser comprado no aeroporto de Bogotá;
3 – No vôo entre San Andrés e Providência, a vista do lado esquerdo chegando na ilha de Providência é muito bonita;
4 – Não deixar de conhecer na ilha da Providência: Cayo Cangrejo, ilha de Santa Catalina, Almond Bay, El Pico e o típico ‘plato mixto’ no restaurante ‘El Divino Niño’ na praia da baía suroeste;
5 – Em San Andres, não deixe de conhecer Cayo Bolivar (deve ser comprado assim que chegar à ilha, pois só tem passeios 3 vezes por semana e de acordo com o tempo), West View, praias de San Luis, Rocky Cay, Acuario, Mantarraias e Jonhy Cay;
6 – Restaurante El Paraiso tem um ótimo custo-benefício para comer lagosta de frente pro mar, em San Luis;
7 – Almacen Jacobo (localizado na Av. Las Americas) é uma ótima indicação para compra de eletrônicos;
8 – Passear na Peatonal;
9 – Dois dias com um carrinho de golfe são suficientes para conhecer todos os atrativos da ilha com calma;
10- Na Peatonal e arredores tem vários restaurantes;
11- Se tiver que passar algumas horas no aeroporto de Guarulhos, saiba que existe o hotel dentro do aeroporto para essas ocasiões. Veja no site: Fast Sleep

Voltar para VIAGENS

2 respostas a San Andres e Providencia – abr/14

  1. Ana Luiza diz:

    Adorei os detalhes no post, super informativo! Gostaria de saber se vocês tiraram as Fotos Aquáticas, com máquina específica ou usaram caixa de estanque;vou para San Andres em outubro e estou que preparando. Agradeço. Ana

    • Sim, compramos uma máquina aquática da Sony. Mas às vezes a lente ficava embaçada. Não gostamos muito. Mas vimos muitas pessoas usando o estanque. Parece que funciona bem, quando bem lacrado.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s