Aracaju – set/16

Em setembro de 2016, pegamos o avião para a capital de Sergipe com o objetivo de conhecer o sertão e aproveitar o litoral do Nordeste!

Descemos em Aracaju e alugamos um carro (com 300 km rodados, quase zero!!), com destino certo: as terras de Lampião e Maria Bonita!

Saímos da capital, pegamos a rota do sertão e depois de percorrer aproximadamente 220 km, chegamos à cidade alagoana de Piranhas, na fronteira com Canindé de São Francisco (SE).

No dia seguinte, acordamos cedo e fomos no Museu de Arqueologia do Xingó (MAX), que conta um pouco da história daquela região tão castigada e sofrida.

Museu de Arqueologia do Xingó (MAX)

Depois, seguimos para o passeio nos Cânios do Rio São Francisco, um atrativo exuberante da região. O catamarão sai diariamente às 11:30, do restaurante Karrancas.

Nesse dia ainda deu tempo de visitar a usina hidrelétrica do Xingó, que está localizada entre os estados de Alagoas e Sergipe, situando-se a 12 quilômetros do município de Piranhas e a 6 quilômetros do município de Canindé de São Francisco.

A Usina de Xingó está instalada no São Francisco, principal rio da região nordestina.

A posição da usina, com relação ao São Francisco, é de cerca de 65 km à jusante do Complexo de Paulo Afonso, constituindo-se o seu reservatório, face as condições naturais de localização, num canyon, uma fonte de turismo na região, através da navegação no trecho entre Paulo Afonso e Xingó, além de prestar-se ao desenvolvimento de projetos de irrigação e ao abastecimento d’água para a cidade de Canindé/SE.

Depois de visitar a Usina, paramos no restaurante Caboclo D´água e olha o visual…

A noite, curtimos um pouco da noite da cidade Piranhas/AL.

No dia seguinte, fizemos o passeio da Rota do Cangaço, que conta um pouco da história de Lampião e Maria Bonita. Pegamos um barco às 8:30 hrs da manhã e, depois de navegar na parte baixa do Rio São Francisco, chegamos a uma praia, onde iniciamos a trilha de 1,8 km até a Grota do Angico, onde Lampião e parte de seu bando foram mortos.

No caminho, várias espécies de cactos (xique-xique, mandacaru, facheiro) e um pouco do ambiente seco da caatinga.

Após uma caminhada agradável, a Grota do Angico: local onde Lampião e parte de seu bando foram mortos.

Depois da trilha, aproveitamos as águas do Rio São Francisco.

E depois do passeio, visitamos o Museu do Sertão.

No mesmo dia, regressamos ao litoral e dormimos em Aracaju.

Um dia para a capital sergipana: museu da gente sergipana, o centro histórico, o Mercado Municipal, a Passarela do Carangueijo, praça Olimpio Campos, a catedral, palácio Fausto Cardoso e fim da tarde na Orla do pôr do sol para ver um dos mais belos espetáculos da natureza.

O tempo passava rápido e já estávamos no domingo, quando fomos, de carro, até o Atracadouro Porto do Cavalo, antes da ponte sobre o rio Piauí. Fizemos um passeio de barco, onde conhecemos Mangue Seco, na fronteira entre Bahia e Sergipe. Aqui foi cenário da novela Tieta. Linda paisagem.

Recomendamos fazer o passeio com Nitinho, cujo passeio pode ser combinado pelo Whats App: (79) 99975-9780

Nessa viagem, conhecemos Walter e Máurea, gente fina de Santos/SP.

Na segunda, partimos para o litoral sul de Pernambuco. O destino era dormir em Tamandaré, próximo à famosa praia de Carneiros. No caminho, vimos o pôr do sol em São Miguel dos Milagres, litoral norte alagoano.

Dormimos em Pernambuco e na terça pudemos curtir a praia de Carneiros.

Parada para banho de argila.

Curtindo o mar do litoral sul de Pernambuco.

Mais uma noite em Tamandaré e, no dia seguinte, partimos para Porto de Galinhas.

Ficamos duas noites em Porto de Galinhas e aproveitamos a praia de Muro Alto, a praia do centro e Maracaípe, com seu pontal maravilhoso para ver o pôr do sol.

A praia de Muro Alto possui piscinas naturais muito boas e mais vazias que as da praia principal (do centro).

Na sexta-feira já era hora de regressar para Aracaju, onde nosso vôo nos esperava no sábado.

Mas ainda deu tempo de visitar o aquário natural na capital sergipana.

Dicas desta viagem:

1 – Na região do Sertão Sergipano, ficar hospedado no lado alagoano, na cidade de Piranhas;

2 – Nessa região, visitar os cânios do Rio São Francisco, a usina hidrelétrica do Xingó, o museu do Sertão, o museu de arqueologia do Xingó (MAX) e fazer a rota do Cangaço. Muita história pra conhecer;

3 – Em Aracaju não há muito o que fazer. O Museu da Gente Sergipana é uma atração obrigatória, assim como o Aquário Natural;

4 – Praia de Mangue Seco, na fronteira com a Bahia, vale a pena conhecer;

5 – No litoral sul pernambucano, vale a pena ficar pelo menos uma noite na Praia de Carneiros;

6 – Em Porto de Galinhas, no mínimo duas noites. Não sair da cidade sem conhecer as praias de Muro Alto e do centro, onde tem o passeio de jangada, e o pontal de maracaípe.

Voltar para VIAGENS