Vale a pena se endividar para viajar?

Olá leitores do blog DE CARRO NA ESTRADA. A partir de hoje criaremos uma nova seção chamada MAIS SOBRE VIAGENS que pode ser acessada no menu horizontal superior, onde publicaremos, periodicamente, dicas ou textos relacionados a viagens.

Nosso primeiro texto aborda um assunto bem polêmico.

Vale a pena se endividar para viajar?

No início desse mês, uma pergunta do ENEM (Exame Nacional do Ensino Médio) de 2017, na prova de matemática, gerou piadas nas redes sociais. A dúvida era se valia a pena se endividar para viajar.

A questão era assim:

“Para realizar a viagem dos sonhos, uma pessoa precisava fazer um empréstimo no valor de R$ 5.000,00. Para pagar as prestações, dispõe de, no máximo, R$ 400,00 mensais.”

A partir desse enunciado e com uma fórmula para ajudar na decisão, vinha a pergunta: qual o menor número de parcelas que essa pessoa deveria pagar, sem comprometer seu orçamento?

A questão rendeu alguns comentários engraçados nas redes sociais, tais como:

– “Minha filha… cancela essa viagem.”

– “Se você dividir o valor pago pela temperatura total do sol, o número de estrelas no universo somado com a imensidão vazia multiplicada pelos fatores de criação humana darão o resultado da questão.”

– “A viagem já começou errada por depender de um empréstimo.”

Sem nos preocupar em fazer as contas pra achar a resposta certa, perguntamos: e aí, vale a pena se endividar para viajar?

Naturalmente juntar a grana e ter todo o dinheiro para poder viajar é o melhor dos mundos. Mas nem sempre isso é possível.

Endividar-se para viajar é uma questão polêmica. Uns vão falar que sim. Outros, mais conservadores, vão dizer imediatamente que não.

Mas como tudo nessa vida é relativo, cada um vai ter uma opinião própria. Vamos aqui explorar as questões gerais que devem ser levadas em conta para a tomada de decisão.

1) Primeiramente, qualquer tipo de dívida deve ser planejada. Segundo especialistas, a soma das parcelas mensais de todos os gastos financiados não deve ultrapassar os 30% da renda líquida, sendo que o ideal é que fique abaixo dos 20%. Então, se a soma das parcelas ultrapassar os 30%, é melhor deixar essa viagem para uma próxima oportunidade;

2) Outro fator que devemos levar em conta é o motivo da viagem. Vai ser uma viagem de lua de mel? Uma viagem dos sonhos em uma grande oportunidade? Se for por um motivo muito forte e que vai ser único na(s) vida(s) daquela(s) pessoa(s), certamente terá um peso bem grande na decisão;

3) Planejamento, de uma forma geral, é fundamental. Se você começa a ver tudo com antecedência, você consegue passagens e hospedagens mais baratas. No cálculo total da viagem, considere, também, todas as possibilidades de gastos, inclusive com alimentação e lembrancinhas. Como diz o ditado, de grão em grão a galinha enche o papo. Então, os mínimos gastos devem ser levados em conta, pois somados podem atrapalhar suas finanças futuramente. A matemática aqui será uma grande aliada;

Considero que esse seja o tripé para a decisão final. Se você consegue espremer as parcelas da dívida de tal forma que não atrapalhe no seu dia-a-dia, consegue se organizar e fazer tudo com antecedência e tem um motivo forte para viajar, por que não pegar um empréstimo para curtir uns momentos com a família, amigos ou mesmo sozinho?

Agora, se você acha que não consegue fazer esse básico, talvez seja melhor esperar um pouco, se organizar e tentar viajar numa próxima oportunidade.

Quem vai torcer para você entrar no mundo das dívidas sem planejamento são os Cartões de Créditos, os Bancos…

Autor: Oswaldo Junior

Anúncios

Sobre De carro na estrada!

Nós somos Oswaldo e Fabiana. Moramos na cidade do Rio de Janeiro / RJ – Brasil. Oswaldo nasceu em 1981 e é estatistico. Fabiana nasceu em 1983 e é administradora.
Esta entrada foi publicada em Mais Sobre Viagens, Textos. ligação permanente.

3 respostas a Vale a pena se endividar para viajar?

  1. Jessé Oliveira Guimarães diz:

    Oswaldo,
    Seu post foi útil. Endividamento total, para fazer uma viagem, eu considero que não é bom. Muitas vezes a pessoa possui o valor, e alguma pequena dívida para viajar mais tranquilo, eu acho razoável. Em tempo Oswaldo, depois de sua viagem de 2012 eu fiz quase que a mesma, até Ushuaia e Santiago, de carro. Eu tinha na época 74 anos. Foi uma viagem maravilhosa. Alguns conselhos que me deu foram muito úteis. Um abraça extensivo à Fabiana.
    Jessé Oliveira Guimarães

    • Obrigado pelo seu comentário Jessé! Certamente temos que ficar de olho em nossas dívidas. Ela pode ser traiçoeira e acabar nos enrolando cada vez mais.

      Ótimo saber que aproveitou e curtiu a maravilhosa viagem até Ushuaia. É uma grande experiência!

      Um grande abraço.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s